Questões de Concurso

Com a mudança de foco do site, foi alterador o serviço de hospedagem. Na migração dos posts de questão, pode ter acontecido algum problema, o principal que identifiquei foi a ordem das questões, que não estão mais seguindo a ordem das provas.

Tentarei aos poucos ir ajeitando isso. Mas todas as questões estão disponíveis, nenhuma foi deletada.

61.(CESGRANRIO – PETROBRAS– ADMINISTRADOR/2012)

Uma companhia industrial, que adota o custeio variável nas suas decisões gerenciais, está estudando o lançamento de um novo produto no mercado. Para complementar o estudo, foi realizada uma pesquisa mercadológica que indicou as seguintes alternativas para a aceitação desse produto no mercado consumidor:


Considerando exclusivamente as informações recebidas, a maximização do resultado com a comercialização desse produto é obtida pela alternativa

(A) DM1 (B) DM2 (C) DM3 (D) DM4 (E) DM5


COMENTÁRIO

Com “maximização do resultado” ele quer dizer quem tem o maior lucro. Simplesmente isso!

Ele fala que a empresa adota o custeio variável, ou seja, os custos fixos vão por completo para a DRE, independente da produção. Vamos esclarecer melhor isso:

Nós temos dois tipos de custos quando falamos do critério “grau de absorção”. Podemos ter o custo por absorção ou o custo direto (variável).

– No custo por absorção todos os custos são transferidos aos produtos ou serviços. Ou seja, se faz uma “sopa” de todos os custos e divide entre os produtos que passaram na linha de produção. O produto já sai da linha com os custos diretos e indiretos associados a ele. Vamos fazer um exemplo para assimilar melhor, utilizarei o mesmo no custo por absorção e no variável:

[box type=”bio”] EMPRESA A produziu 200 unidades de seu produto. Teve como custos totais: – Matéria-prima: 120,00 – Mão de obra: 180,00 – Custos Indiretos de Fabricação: 200,00 No custo por absorção, todos esses custos entrarão no custo do produto, então eu divido o total dos custos pela produção. Total dos custos: 120 + 180 + 200 = 500 Custo por unidade: 500/200 = 2,50 O custo por unidade no custo por absorção será de R$ 2,50.[/box]

Nessa modalidade, quando se fecha a DRE, onde entrará apenas os custos dos produtos vendidos, apenas irá para o resultado os custos indiretos dos produtos que foram vendidos. Isso acaba por acarretar um “erro”, pois, supondo que a empresa venda apenas uma mercadoria, todo o custo indireto ocorreu, porém não foi para a DRE nesse exercício. Fico dentro do estoque junto com a mercadoria. Mas lembro que esse é o método que a legislação brasileira exige que as empresas apurem seus custos para fins de tributação.

– No custeio direto ou variável, os custos que vão para o produto são somente os diretos, como o nome já diz. Os custos indiretos ou fixos irão diretamente para a DRE integralmente. Voltemos ao exemplo:

[box type=”bio”] EMPRESA A produziu 200 unidades de seu produto. Teve como custos totais: – Matéria-prima: 120,00 – Mão de obra: 180,00 – Custos Indiretos de Fabricação: 200,00 No custeio direto apenas os custos variáveis vão para o produto Total dos custos: 120 + 180 = 300 Custo por unidade: 300/200 = 1,50 O custo por unidade no custo por absorção será de R$ 1,50.[/box]

Nessa modalidade, os custos indiretos (R$ 200,00) irão diretamente para a DRE. Como eles aconteceram integralmente, independente da produção, acaba que esse é um custo mais “correto”. Muito mais utilizado gerencialmente pelas empresas. No custeio variável também surge a figura da “Margem de Contribuição”, que é uma medida de quanto o produto contribui para o pagamento das despesas fixas. Ou seja, quanto sobra, depois que se tira os custos e as despesas variáveis, para o pagamento dos custos e despesas fixas.

Para essa questão faremos a margem de contribuição de cada produto. Para acharmos fazemos:

MC = PreçodeVenda – (CustosVariáveis + DespesasVariáveis)

Na questão, ele omitiu os custos variáveis e na tabela colocou os custos unitários fixos. Então vamos fazer a questão na própria tabela e em 4 passos:

1 – Somar os custos e despesas variáveis e colocar em uma coluna após (CUIDADO PARA NÃO SOMAR OS CUSTOS FIXOS). Ficará assim:


2 – Achar a margem de contribuição:


3 – Achar o total da margem de contribuição e dos custos fixos:


4 – Diminuir a margem de contribuição total do custo fixo total e achar o resultado:


O que nos dá o maior resultado é a resposta correta.

RESPOSTA LETRA C

PS: Algumas pessoas podem pensar “Mas se para fazer a Margem de Contribuição eu tirasse o custo fixo por unidade daria a mesma coisa.” Sim, daria… mas somente porque a produção é igual a venda. Caso esses números fossem diferentes você teria que fazer a Margem de Contribuição pela quantidade vendida e tiraria o custo fixo inteiro. Por isso é bom sempre fazer esse passo a passo!

Posts recentes

Ver tudo