Questões de Concurso

Com a mudança de foco do site, foi alterador o serviço de hospedagem. Na migração dos posts de questão, pode ter acontecido algum problema, o principal que identifiquei foi a ordem das questões, que não estão mais seguindo a ordem das provas.

Tentarei aos poucos ir ajeitando isso. Mas todas as questões estão disponíveis, nenhuma foi deletada.

37.(CESGRANRIO – TRANSPETRO – ADMINISTRADOR/2012)

A utilização de sistemas/métodos de previsão para a área de planejamento e controle da produção tem como premissa

(A) atualizar as estimativas periodicamente. (B) estimar o erro de previsão apenas para ambientes em que a demanda sofra pouca variação no curto prazo. (C) estimar o valor da demanda apenas para ambientes em que a demanda sofra pouca variação no curto prazo. (D) utilizá-los no curto prazo apenas, pois a incerteza e o erro de previsão podem ser calculados. (E) realizá-los, obrigatoriamente, em conjunto com a área de vendas.


COMENTÁRIO

Primeiramente um detalhe rápido, o significado da palavra premissa:

Tirado do Priberiam: “Ponto de partida para a organização de um raciocínio ou de uma argumentação.”

Ou seja é de onde começamos, quando ele quer saber a premissa da utilização de sistemas ou métodos de previsão para a área de PCP, ele quer saber de onde parte esse raciocínio, de onde parte a necessidade de se utilizar esse métodos.

Vamos item a item, da última para a primeira, já entregando a resposta. 🙂

(E) realizá-los, obrigatoriamente, em conjunto com a área de vendas. – Isso não é uma premissa, não é da onde parte a necessidade de fazer, é apenas uma boa maneira de acertar melhor o planejamento de demanda, que baseará o PCP, mas nada obrigatório e nada de premissa.

(D) utilizá-los no curto prazo apenas, pois a incerteza e o erro de previsão podem ser calculados. – Primeiramente incerteza e erros de previsão em uma previsão já soa estranho, mas eles não podem ser calculados e sim estimados. E não se usa método de previsão apenas no curto prazo.

(C) estimar o valor da demanda apenas para ambientes em que a demanda sofra pouca variação no curto prazo. – Esse apenas na C e na B matam a questão, ninguém realiza previsão apenas em ambientes com pouca variação no curto prazo. As previsões de demandas são para qualquer ambiente e se tenta uma estimativa em todos os prazos, óbvio que no curto prazo se tenta uma estimativa cada vez mais parecida com a rela, com cada vez menos erros. Enquanto no longo prazo você trabalha com estimativas mais abertas, com números aproximados e com níveis de variações mais altos.

(B) estimar o erro de previsão apenas para ambientes em que a demanda sofra pouca variação no curto prazo. – Mais ou menos a mesma explicação do item C, mas o problema também em “estimar o erro de previsão”. Previsão não é de erro, mas conta com um erro.

(A) atualizar as estimativas periodicamente. – Como eu disse no item C, você faz uma previsão de demanda no longo prazo, no médio e no curto, cada vez mais perto da realidade (mais ou menos como o planejamento estratégico, tático e operacional). Um exemplo prático, o setor de turismo já está prevendo números maiores para eles na copa de 2014 e nas olimpíadas 2016, óbvio que eles já contam com um aumento de X%. Mas a medida que os eventos vão se aproximando e a procura vai se transformando em realidade, eles vão sentindo a demanda e atualizado as estimativas. Por exemplo, pode ser que em janeiro de 2016 ninguém ainda tenha procurado pacote nenhum para as olimpíadas, contrariando uma previsão de que dizia que 1 ano antes a procura aumentaria; os números serão atualizados para baixo. Assim como se em janeiro já estiver com uma lotação de 60%, acima da expetativa, a previsão será aumentada para cima.

RESPOSTA LETRA A

Posts recentes

Ver tudo