Questões de Concurso

Com a mudança de foco do site, foi alterador o serviço de hospedagem. Na migração dos posts de questão, pode ter acontecido algum problema, o principal que identifiquei foi a ordem das questões, que não estão mais seguindo a ordem das provas.

Tentarei aos poucos ir ajeitando isso. Mas todas as questões estão disponíveis, nenhuma foi deletada.

32. (CESGRANRIO – PETROBRAS BIOCOMBUSTÍVEIS – ADMINISTRADOR/2010)

Considerando-se o benefício fiscal do endividamento, o aumento da alavancagem financeira

(A) reduz o custo de capital próprio. (B) reduz o quociente entre a dívida e o capital próprio. (C) aumenta os custos fixos operacionais. (D) deixa inalterado o custo médio ponderado de capital. (E) amplia os ganhos e perdas dos acionistas.

COMENTÁRIO

– Embasamento Teórico:

Referencial Bibliográfico: Administração Financeira / Stephen A. Ross, Randolhp Westerfiel, Bradford D. Jordan. 8ª Ed. de 2008. Ed.: McGraw-Hill SP.

Começando pela alavancagem financeira propriamente dita, já foi falado em outro momento mas detalharei novamente agora.

A alavancagem financeira é a relação entre o Lucro antes dos juros e imposto de renda (LAJIR) e o Lucro antes do imposto de renda (LAIR) ou lucro por ação (LPA). A alavancagem financeira nos diz quanto variará o LAIR ou LPA para cada real que variarmos no LAJIR. Importante saber: só há alavancagem financeira havendo a existência de custos fixos financeiros. Para saber o grau de alavancagem financeira, usamos as fórmulas:

I – GAF = Porcentagem de variação no LAIR / Porcentagem de variação no LAJIR

II – GAF = LAJIR / LAIR

Como podemos perceber, a Alavancagem Financeira nos mostra a relação entre as variações do LAJIR e do LAIR. Quanto maior nossa alavancagem, maior é a influência de um sobre o outro.

Sobre o benefício fiscal da dívida:

Vamos tomar como exemplos 2 empresas. Sendo a empresa A uma empresa não alavancada, e a empresa B uma empresa alavancada por uma dívida de 10.000,00 com juros de 1%. Ou seja, os custo de juros de 100,00. A partir desses exemplios discutirems o benefício fiscal da dívida.

EXEMPLO:EMPRESA A: LAJIR: 1.000,00 JUROS: – LUCRO TRIBUTÁVEL: 1.000,00 IMPOSTOS (20%): 200,00 LAIR: 800,00EMPRESA B: LAJIR: 1.000,00 JUROS: 100,00 LUCRO TRIBUTÁVEL: 900,00 IMPOSTOS (20%): 180,00 LAIR: 720,00;

Assim como no livro do Ross, assumiremos uma depreciação, gastos de capital e variação do capital circulante líquido como zero. Para que possamos calcular o fluxo de caixa do ativo simplesmente como LAJIR – Impostos. Fazendo isso, temos:EMPRESA A: LAJIR: 1.000,00 IMPOSTOS: 200,00TOTAL 800,00EMPRESA B: LAJIR: 1.000,00 IMPOSTOS: 180,00TOTAL: 820,00

Embora as duas empresas tenham ativos idênticos, notamos que a empresa com dívida tem Fluxo de Caixa do Ativo maior, devido ao seu benefício fiscal pelos juros. O fato da empresa estar endividada e pagando juros gerou uma economia de 20,00 reais em impostos, e isso é chamado de benefício fiscal da dívida.

– Resolvendo a questão:

Para a questão mesmo, ela só deu a informação do benefício fiscal da dívida para que soubéssemos que a empresa estava alavancada, ou seja, tinham juros como custo fixo financeiro da empresa.

Ela também quis fazer uma pegadinha, para quem estudou as proposições I e II de M&M com e sem impostos, poderia acabar confundindo na hora da prova. Farei posteriormente um artigo somente sobre essas proposições de estrutura de capital e seus custos. Um artigo bem detalhado está a caminho, estou terminando.

Por isso vimos com a alavancagem financeira não se relaciona com na mais nada menos que a potencialização do LAIR de acordo com a variação do LAJIR, aumentando os ganhos e perdas da empresa e de seus acionistas.

RESPOSTA LETRA E


Posts recentes

Ver tudo