Buscar
  • Bruno Cavalcante

08. (CESGRANRIO – PETROBRAS– ADMINISTRADOR/2010)

Um funcionário público tem uma poupança de R$200,00 e pretende utilizá-la para pagar a 1a prestação de um empréstimo, a ser pago em 24 parcelas iguais de R$ 1.000,00. Sabendo-se que o valor da prestação não pode superar um terço do salário do funcionário, qual o menor valor, em reais, que ficará disponível, após o pagamento da 1a prestação, para os demais gastos?

(A) 2.000,00 (B) 2.200,00 (C) 3.000,00 (D) 800,00 (E) 1.200,00


COMENTÁRIO (Por Pâmella Arruda)

Uma questão bem simples de ser resolvida. A informação importante para solução é “o valor da prestação não pode superar um terço do salário do funcionário”. Com base nisso, se todo mês esse funcionário vai pagar R$1.000 de prestação, o salário dele pode ser no MÍNIMO R$3.000. Se o salário for menor do que R$3.000, a prestação ultrapassa 1/3. Se o salário for maior que R$3.000, não há problema, pois a questão quer saber o menor valor possível que sobrará do salário.

Então vamos usar R$3.000 como salário.

1ª prestação -> 1.000 – 200 (poupança) = 800 (falta pagar)

3.000 – 800 (restante da prestação) = 2.200 (valor que sobra para os demais gastos)

RESPOSTA LETRA B

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O desenvolvimento de carreiras de funcionários deixou de ser exclusiva responsabilidade das empresas, já que os próprios trabalhadores assumem parte desta responsabilidade. A essência de um programa d

A teoria dos dois fatores de Herzberg apresenta duas abordagens para a motivação: a dos fatores motivacionais, que se baseia em necessidades subjetivas de caráter intrínseco, e a dos fatores higiênico

A disciplina progressiva é a forma mais utilizada de procedimento disciplinar, aplicado pelo gerente, que dá ao colaborador a oportunidade para corrigir seu comportamento. As infrações podem ser catal